top of page
Design sem nome (3).png
  • Foto do escritorSimony Ramos Oliveira

Ser imigrante: muitos desafios que impactam a autoestima!!






A decisão de ser um imigrante envolve tantos desafios que podem afetar a nossa autoestima. Como uma imigrante que morou por 5 anos na Ingaterra e que hoje já vive há mais de 3 anos na Holanda, sei como os desafios de aprender uma língua estrangeira, fazer amigos, encontrar um trabalho, acostumar com o clima, pode nos fazer sentir incapazes de adaptar e começar uma nova vida fora do nosso país de origem.




Não saber lidar com a diferença que a todo momento nos deparamos, pode afetar muito a nossa autoestima e nos levar a se comparar com os padrões do novo país e, consequentemente a nos depreciar quando não conseguimos alcançá-los. Ou seja, a nossa autoestima pode se tornar muito baixa, passamos a ter medo de enfrentar os problemas no exterior, de arriscar diferentes alternativas para resolvê-los.

Os desafios são diversos: encontrar um trabalho a partir da experiência profissional do seu próprio país, e convencer o entrevistador na seleção de emprego, que o que você sabe fazer é valioso e contribuirá no ambiente organizacional; de aprender como se faz amigos e perceber que é muito mais complicado que no país de origem; de aprender uma nova língua que é tão diferente do seu idioma natural, que o medo se apondera em função da perspectiva de não dominá-la e perder oportunidades de trabalho e de socialização.

Dependendo da história de vida do imigrante, de seus gatilhos emocionais, estes desafios podem deixá-lo com baixa autoestima, consequentemente aumentando mais o stress, os medos e ansiedade, e assim também o medo de arriscar a resolver seus problemas, tornando-se um círculo vicioso.

Já conheci muitos imigrantes com mais de 10 anos morando no exterior, que ainda não tinham aprendido a língua nativa em função do medo de falar errado, das críticas alheias. Vivendo em "dependência" do parceiro, familiar ou amigos, estes não conseguiam se desenvolver e avançar na carreira ou começar uma vida baseada em suas necessidades e sonhos.

Com certeza há muitos desafios a serem vencidos, mas se não acreditarmos que podemos vencê-los com a ajuda de outros e com o nosso empenho, a nossa vida como imigrante pode ser muito triste e sem sentido. Claro, sempre levando em conta a realidade do país e testando diferentes estratégias para superar os problemas que certamente existirão, visto que a vida é feita de sabores e dissabores.

Somente reconhecendo que precisamos de ajuda e que é possível mudar a nossa situação, é que podemos ter uma vida mais feliz e leve no país que escolhemos viver.

Deixe eu te ajudar! Marqye a sua sessão comigo aqui.





Comments


bottom of page